Hormotrop (HGH) ? O que é, como usar, ciclo, benefícios, efeitos colaterais

A busca desesperada pela juventude eterna tem levado dezenas de pessoas a recorrer a qualquer recurso que prometa isso. Um bom exemplo é o hormônio de crescimento (GH) que parece ser a bola da vez bastante comentado e discutido pelos adeptos à musculação.

Como o próprio nome diz, é responsável pelo crescimento tratando-se de uma proteína globular com 191 aminoácidos em sua estrutura e específica a cada espécie animal.

Nos humanos, é produzido na parte anterior da glândula hipófise localizada no centro do cérebro e sua função não se limita apenas a crescimento. É responsável pela restauração dos tecidos musculares, ósseos, produção de enzimas, integridade dos cabelos, unhas e da pele.

O hormônio de crescimento é produzido durante toda a vida mas não de forma constante. Apresenta picos de produção em determinadas fases da vida e momentos do ciclo circadiano. Sendo assim, na adolescência é quando atinge a sua maior produção diária seguida de um declínio gradual médio na ordem de 14% por década.

Especialmente durante a fase do sono conhecida como REM (Movimento Rápido dos Olhos) é quando o corpo libera maior quantidade fazendo a reparação dos tecidos espoliados durante os movimentos corporais e atividades mentais. Daí mais uma vez a importância do descanso e noites bem dormidas.

É um dos hormônios anabolizantes naturais estimulados pelo exercício de força conjugado de forma adequada à ingestão de proteínas alimentares e como vimos acima à qualidade do sono. Os menores picos se dão durante o jejum e imediatamente após os exercícios extenuantes reforçando o perigo do “treinar em jejum”.

 

Hormotrop (HGH) ? O que é, como usar, ciclo, benefícios, efeitos colaterais 1

Hormotrop (HGH) produzido pela Bergamo

 

Como Usar Hormotrop (HGH)

A dose é individualizada, com base no peso corpóreo ou na área da superfície corporal e deve sempre ser ajustada de acordo com resposta individual ao tratamento. Como regra geral, recomenda-se uma injeção subcutânea diariamente, administrada à noite.

Recomenda-se alterar o local das aplicações a cada dia, para evitar lipoatrofia (atrofia do tecido adiposo). Alternativamente, Hormotrop® (somatropina) pode ser administrado por via intramuscular, três vezes por semana. Três UI correspondem a um miligrama de somatropina, de modo que Hormotrop® 4 UI contém 1,33 mg de somatropina por frasco-ampola e Hormotrop® 12 UI contém 4 mg de somatropina por frasco-ampola.

Efeitos colaterais do Hormotrop

Efeitos endócrinos: hipotireoidismo pode ocorrer ou piorar, e pode diminuir a resposta à terapia; monitorar teste de função da tireóide
periodicamente e ajustar a terapia de reposição de hormônios tireoidianos, conforme necessário. Pode ocorrer diabetes mellitus devido a
tolerância à glicose comprometida. Pacientes devem ser monitorados de perto, e se alguma anormalidade for observada, a administração
desse medicamento deve ser descontinuada e medidas apropriadas devem ser tomadas;

Efeitos hepáticos: níveis séricos de TGO, TGP e fosfatase alcalina podem aumentar;

Efeitos hematológicos: leucocitose, eosinofilia, triglicérides elevado, HDL sérico elevado, ácidos graxos livres elevados, aumento do colesterol total, fosfato sérico elevado e níveis de mioglobina elevados podem ocorrer. Leucemia tem sido relatada em pacientes pediátricos
tratados com hormônio de crescimento ou hormônio de crescimento recombinante, mas é incerto se a leucemia está relacionada com a
terapia com hormônio de crescimento;

Efeitos renais: Nefropatia (edema, proteinúria, hipoproteinemia) pode ocorrer. Pacientes devem ser monitorados de perto e se alguma
anormalidade for observada, a administração deste medicamento deve ser descontinuada e devem ser tomadas medidas adequadas.
Outros: edema.

Hipersensibilidade: erupção cutânea (urticária e eritema), coceira sistêmica, também vermelhidão, calor e dor em torno do local da injeção
podem ocorrer. Neste caso, o médico deverá avaliar se a administração deve ser descontinuada;
Reações incomuns (≥ 0,1 e < 1%):
Efeitos renais: Hematúria microscópica ocasional;

Efeitos gastrointestinais: náusea, vômitos e dor abdominal podem ocorrer ocasionalmente;

Efeitos músculoesqueléticos: artralgia associado com crescimento, otalgia, exostose, epifisiólise femoral, necrose avascular da cabeça femural, osteomielite, progressão das deformidades vertebrais como a escoliose, paralisia periódica e dor de crescimento, tais como artralgia
e melosalgia podem ocorrer ocasionalmente;

Outros:leucopenia,dores de cabeça, perda de gordura subcutânea e aumento da creatinofosfoquinase podem ocorrer ocasionalmente.
Formação de anticorpos específicos contra a somatropina tem sido observados durante o tratamento com HORMOTROP® (somatropina).
Pacientes com falha na resposta ao tratamento necessitam ter seus níveis de anticorpos analisados.
Reações raras (> 0,01% e ≤ 0,1%):

Efeitos músculoesqueléticos: síndrome do túnel do carpo pode ocorrer raramente;

Outros: Aumento da pressão intracraniana (hipertensão intracraniana) com papiledema e alterações visuais podem ocorrer, casos em que, a
administração do medicamento deve ser interrompida ou reduzida. Além disso, como o aumento do crescimento e transformação maligna
de nevos pré existentes podem ocorrer em raros casos, pacientes devem ser monitorados de perto, e pancreatite e ginecomastia também
podem ocorrer raramente. Em estudos clínicos realizados no exterior, eventos adversos como a infecção do trato respiratório superior, a
rigidez muscular distal e a fadiga foram relatados. Proteinúria, hiperglicemia, queimação local, inflamação e lipoatrofia também foram
reportados.

Contra indicações do Hormotrop (HGH)

O uso deste medicamento é contraindicado nos seguintes pacientes: com diabetes mellitus; doença neoplásica maligna (produção patológica, não inflamatória, de tecido com nova formação, com características de malignidade); fechamento epifisário (situação em que ossos longos não crescem mais sob influência do medicamento); nanismo pituitário (secreção inadequada do hormônio endógeno de crescimento) secundário a um tumor cerebral ativo; hipersensibilidade conhecida ao medicamento ou a qualquer um dos excipientes da formulação; doença aguda crítica devido à complicações decorrentes de cirurgias abdominais, cardíacas ou traumatismo múltiplo acidental; insuficiência respiratória aguda; síndrome de Prader-Willi que são severamente obesos ou têm insuficiência respiratória severa. Antes de iniciar o tratamento com o medicamento, tumores cerebrais devem estar completamente inativos e a terapia antitumoral completa. O tratamento com Hormotrop® (somatropina) deverá ser interrompido se houver qualquer evidência de recorrência do crescimento tumoral.

Durante a gravidez, ou lactação, ou em mulheres que podem engravidar.

Hormotrop® (somatropina) não poderá ser usado se houver qualquer evidência de tumores (produção patológica, não inflamatória, de tecido com nova formação, podendo ser benigno ou maligno) no paciente. Lesões intracranianas (no interior do crânio) têm que estar completamente inativadas e a terapia antitumoral completa antes de iniciar o tratamento. O tratamento com Hormotrop® (somatropina) deverá ser interrompido se houver qualquer evidência de recorrência do crescimento tumoral.

Caso utilizado em neonato (recém-nascido), deverá ser utilizado para reconstituição do produto apenas água para injetáveis e a ampola do diluente bacteriostático não deve ser utilizada, pois o álcool benzílico presente no diluente bacteriostático apresenta toxidade para neonatos.

Posologia do Hormotrop (HGH)

A dose é individualizada, com base no peso corpóreo ou na área da superfície corporal e deve sempre ser ajustada de acordo com resposta individual ao tratamento.
Como regra geral, recomenda-se uma injeção subcutânea diariamente, administrada à noite.
Recomenda-se alterar o local das aplicações a cada dia, para evitar lipoatrofia vide “ Precaução na administração – PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS ”.
Alternativamente, HORMOTROP® (somatropina) pode ser administrado por via intramuscular, três vezes por semana.
Três UI correspondem a um miligrama de somatropina, de modo que HORMOTROP® 4 UI contém 1,33 mg de somatropina por frasco- ampola e HORMOTROP® 12 UI contém 4 mg de somatropina por frasco-ampola.

Doses recomendadas:
Deficiência de hormônio de crescimento:
Injeção subcutânea: 0,07 – 0,1 UI/kg de peso corporal (0,023 – 0,033 mg/kg de peso corporal), 6 a 7 vezes por semana ou 2 – 3 UI/m2de superfície corporal (0,67 – 1 mg/m2 de superfície corporal), 6 a 7 vezes por semana.
Injeção intramuscular: 0,14 – 0,2 UI/kg de peso corporal (0,047 – 0,067 mg/kg de peso corporal), 3 vezes por semana ou 4 – 6 UI/m2 de superfície corporal (1,33 – 2 mg/m2 de superfície corporal), 3 vezes por semana.

Características farmacológicas

Somatropina (substância ativa), pó liofilizado branco, estéril, para injeção subcutânea/intramuscular, contém Somatropina (substância ativa), um hormônio polipeptídico de origem DNA recombinante. Sua molécula tem resíduos de 191 aminoácidos e possui peso molecular entre 21000 e 23000 daltons. Há décadas ele já existe como terapêutica de reposição, mas a sua quantidade era muito pequena, uma vez que era extraído de hipófises de cadáveres. A tecnologia do DNA recombinante tornou possível a produção de um rhGH semelhante ao GH natural.

Preço médio 

Está entre R$ 670,00 a R$710,00

Deixe um comentário